Empresa de comercialização de créditos de carbono em blockchain investe em projetos de preservação ambiental

Recentemente, a brasileira Moss, líder global na comercialização de créditos de carbono em blockchain, alcançou a marca de 100 milhões de reais destinados para projetos de sustentabilidade e preservação envolvendo a floresta amazônica. Todo o valor repassado vem do token MCO2, que foi desenvolvido pela empresa como uma representação, em blockchain, de um crédito de carbono.

A ideia surgiu para atender empresas que querem atender requisitos de ESG e demandas por redução de impacto ambiental. Assim, quando um token MCO2 é “queimado” na plataforma da empresa por seu proprietário, identificado como pessoa física ou jurídica, a Moss garante a compensação de uma tonelada de emissões de carbono. Além disso, a venda primária dos tokens pela Moss também gera uma receita destinada aos projetos de preservação ambiental e seus tokens MCO2 circulam na rede Ethereum.

Soluções Jurídicas para Empresas
Soluções Jurídicas para Empresas

Considerado como uma maneira simples, rápida, segura e eficiente de transacionar créditos de carbono, a empresa registra crescimento acelerado e parcerias com marcas famosas, chegando a mais de 200 parceiros, incluindo grandes empresas como GOL Linhas Aéreas, C6 Bank, iFood, AMARO, PagSeguro PagBank, Hering, entre outros.

Créditos de carbono em blockchain

A ideia de vincular créditos de carbono à tecnologia blockchain garante o rastreamento digital dos projetos que fazem parte do mecanismo REDD e REDD+ (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal somado à conservação do território) beneficiados pela Moss, além da integridade sobre o processo de compensação das emissões geradas pelos processos produtivos.

Além da tokenização dos créditos de carbono, a Moss pretende se beneficiar de outros setores do universo relacionado à tecnologia blockchain. Em breve, a empresa pretende lançar o “NFT da Amazônia”, que também tem como objetivo o desenvolvimento de uma economia sustentável e a preservação da floresta amazônica. O token não-fungível está sendo desenvolvido em parceria com a plataforma OnePercent.

Fonte: Exame

Conheça nossas Soluções Jurídicas para o seu negócio
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Luiz Jovelino
Luiz Jovelino
Graduando em Direito na Universidade Federal de Alagoas, experiência com estudos constitucionais. Atuou como trainee da empresa Júnior Legis. É estagiário na área de Compliance do BL Consultoria Digital.
Luiz Jovelino
Luiz Jovelino
Graduando em Direito na Universidade Federal de Alagoas, experiência com estudos constitucionais. Atuou como trainee da empresa Júnior Legis. É estagiário na área de Compliance do BL Consultoria Digital.

Posts Relacionados

Fale Conosco

Categorias

Assine nossa Newsletter

Confira Mais Conteúdos