Apenas 32% das empresas possuem área de cibersegurança no Brasil

Apenas 32% das empresas têm área de cibersegurança no Brasil
Apenas 32% das empresas têm área de cibersegurança no Brasil

De acordo com a pesquisa feita pelo Instituto Datafolha para a Mastercard, chamada de “Barômetro da Segurança Digital”, apenas 32% das empresas possuem área de cibersegurança no Brasil. Além disso, a pesquisa mostra que 57% das empresas brasileiras nos setores de educação, finanças e seguros, tecnologia e telecom, saúde e varejo são alvo de fraudes e ataques digitais com média ou alta frequência.

A Cibersegurança pode ser definida como a prática que protege computadores e servidores, dispositivos móveis, sistemas eletrônicos, redes e dados contra ataques maliciosos. O cenário mostrado pela pesquisa “Barômetro da Segurança Digital” é preocupante, pois apesar das empresas reconhecerem a necessidade da cibersegurança, poucas investem na área de pesquisa e desenvolvimento. Na pesquisa também é mostrado que 39% das empresas pesquisadas não colocam a cibersegurança como uma prioridade no orçamento.

O Brasil está entre os países que mais sofrem ciberataques e por isso, a recomendação às empresas é de que implementem projetos internos a fim de reforçar a segurança dos seus dados, principalmente após encontrar uma falha na segurança. Outra problemática é que muitas empresas ainda não iniciaram o seu Plano de Ação do Projeto de Implementação e Adequação à LGPD, essa adequação é essencial para demonstrar o comprometimento da empresa com a implementação dos padrões de Compliance e, consequentemente, com os padrões éticos relacionados à utilização, tratamento e segurança dos dados.

Investir em cibersegurança é importante para trazer confiança para gestão dos negócios e credibilidade diante de clientes e parceiros. Hoje, mais do que nunca, os consumidores desejam interações simples, rápidas e seguras com quem se relacionam online. Por isso, cabe às organizações endereçarem este ponto internamente.

Estanislau Bassols, Gerente Geral da Mastercard.

Boas práticas de Cibersegurança

Práticas de proteção de dados são muito importantes para prevenir ataques maliciosos e reverter situações após ciberataques. Dessa forma, é necessário ter um bom plano de resposta a incidentes, uso extensivo de criptografia, treinamento de colaboradores e compartilhamento de inteligência em ameaças para reduzir os custos oriundos de ciberataques e vazamentos de dados. Por isso, listamos abaixo algumas boas práticas de cibersegurança para empresas:

1. Atualizar constantemente os métodos e sistemas de segurança da sua empresa, como também todos os drivers e softwares utilizados: hackers sempre aproveitam falhas de segurança em sistemas operacionais, programas e aplicativos para atacar uma empresa.

2. Criar uma política de segurança: a política de segurança é essencial a definição de processos e que um funcionário precisa desempenhar quando encontra uma falha de segurança em determinada área de uma empresa.

3.Investir em ferramentas de monitoramento e consultorias especializadas: as ferramentas de monitoramento aliadas ao treinamento dos colaboradores da empresa são a maneira rápida de identificar eventos de vulnerabilidade.

4. Elaborar um bom Plano de Respostas a Incidentes de Segurança de Dados: a criação de um Plano de Respostas a Incidentes de Segurança em Dados Pessoais é uma das medidas que pode ser decisiva para que estes riscos não causem danos irreparáveis para as empresas.

5. Iniciar a adequação à LGPD: uma boa recomendação para as empresas que estão iniciando a adequação de seu processamento de dados, é fazer a implementação e adequação à LGPD, o que poderá ajudar a seguir as recomendações da Lei e a mitigar futuros riscos. 

Fontes: Ciso Advisor e Mundo Mais Tech

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Jaqueline Martins
Jaqueline Martins
Graduanda em Jornalismo da Universidade Federal de Alagoas com formação técnica em informática e experiência em pesquisa acadêmica na área de Ciberjornalismo. É voluntária no projeto de extensão Memoráveis Alagoas e estagiária na área de Comunicação e Marketing Digital do BL Consultoria Digital.
Jaqueline Martins
Jaqueline Martins
Graduanda em Jornalismo da Universidade Federal de Alagoas com formação técnica em informática e experiência em pesquisa acadêmica na área de Ciberjornalismo. É voluntária no projeto de extensão Memoráveis Alagoas e estagiária na área de Comunicação e Marketing Digital do BL Consultoria Digital.

Posts Relacionados