Criptomoedas despencam após invasão russa na Ucrânia

criptomoedas
Criptomoedas despencam após invasão russa na Ucrânia

Após Vladimir Putin, presidente da Rússia, autorizar o início de uma “operação militar especial” na região de Donbass, no leste da Ucrânia, diversas criptomoedas despencaram no mercado desses ativos, em especial o Bitcoin (BTC) e o Ethereum (ETH). Além disso, houve grande queda nas bolsas dos Estados Unidos.

O Bitcoin caiu 9% durante a madrugada do dia 24 e voltou a ser negociadopor US$ 34 mil, considerado um importante suporte (zona com muito interesse de compra). Após essa queda, às 7h, a criptomoeda ensaiava recuperação e era negociada em US$ 35.482,96, enquanto a segunda maior cripto do mundo, o Ethereum, recuava 12,5% no mesmo horário, para o valor de US$ 2.381,75.

Vitalik Buterin, de origem russa e principal cabeça por trás do Ethereum, disse estar triste com a decisão de Putin de abandonar a possibilidade de uma solução pacífica. “Este é um crime contra o povo ucraniano e russo. Quero desejar segurança a todos, embora saiba que não haverá segurança”, afirmou em postagem no Twitter.

Dentre as criptos mais valiosas, o pior resultado no começo da manhã era o da Cardano (ADA), que despencava 17,3%, para US$ 0,76. Fazia cerca de um ano desde a última vez em que a criptomoeda havia sido negociada por esse preço. Com isso, quase todos os ganhos de 2021 foram apagados e a ADA perdeu a 7ª posição no ranking para a Solana (SOL), que caía “apenas” 10% nas primeiras horas de hoje.

No mercado criptomoedas como um todo, cerca de US$ 100 bilhões evaporaram durante a madrugada. O mergulho dos preços frustrou planos de traders que ficaram esperançosos com a alta de ontem e abriram posições compradas em trades de margem e futuros. Como o mercado rumou para sentido contrário, suas garantias foram corroídas e resultaram em prejuízo de US$ 242 milhões, apenas algumas horas depois do anúncio dos ataques na Ucrânia.

Diante desse cenário, analistas veem a relação entre o conflito no Leste Europeu e as criptomoedas como um movimento resultante da aversão ao risco. Assim, logo após a autorização dos ataques na Ucrânia, por exemplo, os futuros do Dow Jones futuro caíram 2,35%, os do S&P500 recuaram 2,32%, e o do Nasdaq operavam em baixa de 2,72%.

Em contrapartida, o petróleo disparava com o preço do brent com vencimento em abril cotado a US $100,07, por barril. Em novo revés para as criptos, o encarecimento das commodities também pressiona a inflação, aumentando a possibilidade de subida das taxas de juros nos EUA. É importante ressaltar que taxas de juros maiores costumam afetar a atratividade de ativos de risco.

Por fim, especialistas permanecem cautelosos e evitam projetar cenários para o Bitcoin, mas ressaltam que um arrefecimento da crise com a posterior aplicação de sanções contra a Rússia podem beneficiar os criptoativos.

Fonte: Infomoney

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Luiz Jovelino
Luiz Jovelino
Graduando em Direito na Universidade Federal de Alagoas, experiência com estudos constitucionais. Atuou como trainee da empresa Júnior Legis. É estagiário na área de Compliance do BL Consultoria Digital.
Luiz Jovelino
Luiz Jovelino
Graduando em Direito na Universidade Federal de Alagoas, experiência com estudos constitucionais. Atuou como trainee da empresa Júnior Legis. É estagiário na área de Compliance do BL Consultoria Digital.

Posts Relacionados

Fale Conosco

Categorias

Assine nossa Newsletter

Confira Mais Conteúdos